8 chaves para melhor desenvolver-se

Há muitos vendedores no mercado que prometem mundos e fundos se você comprar sua receita milagrosa. É verdade que através de algumas leituras ou cursos, pode-se realmente encontrar pepitas de ouro.

No entanto, uma vez que a euforia benéfica devido ao “efeito de descoberta” passou, os resultados esperados desaparecem rapidamente para gerar “efeitos colaterais” nem um pouco parecidos com o que esperávamos…

Obviamente, fomos enganados, mas quem se atreveria a gritar aos quatro ventos que tomou uma rasteira? O resultado é uma incrível profusão de vendedores no mercado do desenvolvimento pessoal, e acaba sendo difícil separar o trigo do joio.

Quando vejo os títulos e as designações que algumas pessoas usam, às vezes me sinto muito pequeno! Pequeno especialmente no sentido da imaginação, porque essas pessoas realmente são muito criativas na hora de inventar palavras para fazer sonhar.

Para evitar uma caça às bruxas, não vou listar aqui este tipo de vocabulário, senão eu vou atrair a atenção e a rancor desses vendilhões do templo da área do desenvolvimento pessoal.

Então, qual é essa chave para desenvolver-se melhor? Antes de tudo, a primeira coisa é parar de acreditar no Papai Noel, entendendo que só você será capaz de sair do seu próprio marasmo.

Não existe uma poção mágica milagrosa nem uma varinha mágica que fará você progredir graças à sua conta bancária. Sobre isso, as leis divinas são muito claras!

Portanto, não se endividem nem se estressem, porque no fundo, o que você realmente quer é economizar tempo e fazer o mínimo de esforços possível. Os atalhos são sempre muito atraentes, especialmente se você tiver ambição!

Em outras palavras, seu ego manipula você, e inevitavelmente uma fauna de picaretas bem-intencionados e com aparência muito profissional aparece par te ajudar a aliviar sua carteira enquanto promete resultados extraordinários.

Alguns abrirão os seus chacras, outros cuidarão das suas antigas feridas cármicas ou restabelecerão sua saúde a um nível que você provavelmente nunca conheceu, etc.

A primeira de todas as chaves da realização e, portanto, do famoso desenvolvimento pessoal, é: você terá que se esforçar de verdade, todos os dias da sua vida.

O progresso em um piscar de olhos pertence aos mundos da ilusão, onde o ego faz você acreditar que é possível “furar a fila” graças a alguns empurrãozinhos bem ajustados. Tudo isso é besteira!

O desenvolvimento acontece na duração, no cotidiano, e não necessariamente no sofrimento ou no foco durante um final de semana de trabalho intensivo. Claro, isso pode ser útil para quebrar um rochedo que está no seu caminho, mas não para limpar o caminho.

O varredor interno do caminho que leva até a sua “lenda pessoal” está em sua vigilância constante. De fato, qual é o ponto de estar no sétimo céu durante um fim de semana para viver o mês seguinte na maior bagunça?

Então, pare de ver o desenvolvimento pessoal como um objetivo a alcançar porque, no final, você provavelmente nunca o alcançará: não é uma guerra que você pode ganhar!

E o motivo é muito simples: não tem guerra. É apenas na sua imaginação que você acha que tem um lado ruim, um lado destrutor e destrutivo que torce para que você se fira.

O mal não existe porque o bem também não existe. Esta é apenas uma visão distorcida da dualidade. Por exemplo, se um professor der um tapa em um aluno, um observador externo dirá que está muito errado e que o professor é um torcionário.

Mas uma vez as verdadeiras razões conhecidas, o observador dirá que o professor foi bem tolerante e que, de fato, ele deveria ser demitido, não porque ele foi abusivo, mas porque ele é um fraco!

Por outras palavras, não é o tapa que deve ser julgado. É sentir qual foi o motivo real que levou a ele. Então me diga: você se julga em função das suas ações e do que os outros falam?

Sim, você leu certo: quem é o autor do seu julgamento sobre o que você é? Você ou os outros? E se for você, você está realmente em possessão de todas as informações? Será que você pode realmente ser objetivo sobre algumas das suas ações? Você realmente acha que é o dono da verdade?

Se nesta vida você leva socos e portas batem na sua cara, você tem certeza de que é sempre a sua atitude nesta vida que as desencadeou? Você tem certeza de que pode apontar para os verdadeiros culpados?

Se você responder sim, então é provável que o seu ego o manipule mais uma vez! De fato, não há pior cego do que aquele que nasceu cego.

A segunda chave é: pare de se julgar porque você está no pior lugar possível para fazer isso.

Das duas primeiras chaves decorre a conclusão que, se você quiser assumir o controle da sua vida, terá que ouvir outras músicas além da melodia da sua mente, que usa as suas emoções para levá-lo a becos sem saída.

Seu ego “inferior” não quer ficar em segundo lugar. Agora, qual é o objetivo do desenvolvimento pessoal, se não desenvolver plenamente o que você realmente é?

E, para florescer, você deve começar colocando seu ego-mentiroso em seu devido lugar, isto é, atrás, no cubículo dos vigaristas profissionais. Não é fácil porque este pequenino é muito talentoso.

Faz sentido, já que foi ele quem hackeou completamente o seu centro de tratamento, chamado de cérebro, e que é elogiado desde que saímos das cavernas ou descemos dos galhos das árvores plantadas no meio do Jardim do Éden. Todas as versões se valem e tem o mesmo resultado!

Então, chegamos à terceira chave: já que o cérebro foi hackeado e tem “vírus” desde o início, pergunte ao seu coração o que ele pensa.

De fato, ele nunca vai tentar enganar você, a menos que o seu “cérebro” tenha aprendido a imitar sua voz. Isso acontece muito com as pessoas que confiam principalmente nos outros para descobrir o que é bom para elas.

À força de negar a si mesmo, e assim negando sua própria divindade, sua própria faísca divina, é perfeitamente normal ouvir apenas “sons de sinos”. E você sabe que as capelas não estão faltando na nossa Terra.

Então chegamos na nossa quarta chave, que é: coloque um fone de ouvido, não para ouvir a música criada por outros, mas para conseguir o silêncio necessário para ouvir você mesmo.

É verdade, é um truque muito besta e óbvio quando você o conhece. Todos acreditam que você está fazendo a mesma coisa que eles (fenômeno de ressonância e, portanto, de pertença ao mesmo clube), mas na verdade você está fazendo totalmente o contrário.

Graças a esse blefe, a princípio as pessoas te deixam em paz e você permanece invisível, evitando um possível linchamento público ou uma crucificação pelo motivo da sua diferença. Isso nos leva à quinta chave: não grite aos quatro ventos o quão diferente você é, ou estará na linha de frente quando tudo der errado.

De fato, as pessoas ignorantes sempre procurarão bodes expiatórios quando sua pequena rotina manipulada sofrerá alguns bugs. Eles acham que, fazendo algumas pessoas de exemplos, eles colocarão tudo de volta nos trilhos.

Começa no jardim infantil e continua até o túmulo. Então, se você sair do trilho, tenha cuidado para não colidir com um trem vindo na direção oposta. Dói muito e gera muitos danos colaterais.

É verdade que quando você está feliz, é difícil escondê-lo porque você sorri para todo mundo. A felicidade é algo que vivemos todos os dias, por isso, já que você não pode escondê-la, siga a sexta chave:

É melhor deixar as pessoas pensarem que você é um excêntrico irrecuperável do que um energúmeno que passou por uma lavagem cerebral e participa de alguma seita.

Eu não sei se você reparou, mas as pessoas são muito legais com você quando você sempre tem um sorriso no rosto, de segunda a domingo. Elas não gostam de contrastes muito pronunciados, especialmente na mesma pessoa.

Não se surpreenda se a sua vida e o seu humor vão oscilando. Eles só seguem o movimento de suas tentativas. É melhor ter sempre algumas ondulações na superfície do seu lago interior do que uma tempestade de vez em quando.

Você nunca reparou que depois de um “curso”, a aterrissagem no mundo normal parece um pouso forçado? Inevitavelmente alguma coisa vai quebrar, e será necessário gastar mais energia para consertar tudo.

Por outro lado, o pequeno desânimo diário, o pequeno pensamento não necessariamente positivo, a vontade passageira de querer matar o cachorro do vizinho que não para de latir à noite, etc. são coisas muito mais controláveis ​​e, portanto, retificáveis ​​no dia a dia.

Podemos deduzir facilmente a nossa sétima chave: “mais vale um pássaro na mão do que dois voando”. Por trás dessa expressão há uma grande verdade para o desenvolvimento pessoal.

Ela simplesmente diz: viva o momento e aproveite todas as oportunidades para ser feliz e limpar a sua casa. Não parece muita coisa, mas ao longo prazo os resultados são muito mais viáveis ​​e sustentáveis.

E aqui está a oitava chave: não dê ouvido à pessoa que te dá conselhos que você não pediu, porque ela está provavelmente tentando vender algo para você. Em resumo, não dê ouvido às sereias do Desenvolvimento Pessoal, porque elas estão procurando gente fácil de rapelar.

Em outras palavras, peça apenas informações baseadas em como você realmente se sente. Mas se você quiser entrar em todos os parques de diversões que cruzam seu caminho, não reclame se acabar sendo rapelado!

De fato, tem tantas coisas que nos fazem sonhar que, mesmo se você entrar no parque sem sua carteira, sairá de lá sem os seus sapatos, porque alguém lhe terá vendido a “ideia” de ficar em contato direto com a Terra. Outro terá convencido você a ficar pelado para se beneficiar plenamente dos raios do sol e da liberdade de movimento.

Em suma, você sairá peladão do parque de diversões, perguntando-se como eles conseguiram convencer você a fazer tudo isso. Bem, será mais um aprendizado para você…

Como um certo Chinês disse: “a experiência apenas ilumina o caminho que já foi percorrido”, então é mais um motivo para caminhar devagar e não por atalhos, porque você provavelmente não terá tempo de abrir seu paraquedas se tiver um precipício na sua frente, e ainda menos de colocar seu capacete se tiver uma árvore…

O caminho da felicidade é simplesmente o caminho daqueles que se permitem aproveitar cada momento da estrada infinita do SI.

Não caia em armadilhas dizendo: “parece muito bacana nessa direção! ”. Prefira ouvir a sua Pequena Voz que diz “tudo que importa está aqui e agora” e mexe a sua bunda!

Todas as instituições religiosas inverteram a verdade para manter o ser humano em um estado de ignorância suficiente para ser controlado. O paraíso está inevitavelmente em outro lugar, mais para frente, mais tarde, somente quando você estará morto. Quanto ao inferno, ele está sempre aqui, com você e até a morte.

Faça o contrário e você verá que, primeiro, o inferno não existe, e segundo, já estamos no paraíso. Não procure anjinhos com asas, musas com belas harpas e um velho barbudo no seu trono.

Em vez disso, convide as musas a tocar nas suas cordas. Tente cruzar o caminho dos portadores de sabedoria e sorria sinceramente para todos os anjos que seus olhos encontrem (nunca se sabe…).

Desse jeito, eu prometo que você vai aproveitar sua estadia na Terra, especialmente diante de todos as problemáticas que surgirão. Elas estão aqui apenas para manter você ocupado e para torná-lo ainda mais forte, mais lindo, e acima de tudo mais alegre.

Sem esses problemas, como você conseguiria expressar a sua inteligência e seus dons? Como você conseguiria demonstrar sua magnificência, sua criatividade, sua bondade e sua paz interior?

Nós estamos aqui como cozinheiros. Devemos criar ótimos pratos com todas as nossas emoções, percepções e nossos sentimentos, apesar de todas as panelas que queimamos por causa da nossa ignorância, dos nossos medos e das nossas incompreensões.

Cozinhar enquanto você está dando lustro às panelas é um esporte difícil, especialmente quando você não tem controle nenhum sobre o aprovisionamento. E é assim que podemos demonstrar que somos todos deuses em ação.

Laurent DUREAU

Artigo originalmente publicado no blog Booster Votre Influence no dia 27 de maio 2009 e atualizado no blog 345D no dia 1º de junho 2012. Traduzido do francês.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*