Ficar centrado, que isso?

Nós sabemos que a lei da força centrífuga é exercida assim que giramos em torno de um eixo ou de um centro. É a mesma coisa para nossa paz interior e, portanto, nossa segurança em geral.

A vida é um remoinho apenas esperando para nos desestabilizar. A menor dúvida, a menor perturbação pode se tornar, depois de algumas voltas, totalmente fatal. Muitas cicatrizes testemunham das nossas experiências nem sempre felizes…

Na imagem de uma galáxia, quanto mais nos afastamos do centro, mais nos dispersamos e morremos ao mesmo tempo. É assim no universo e em todos os sistemas que ultrapassaram um certo limiar de evolução. Felizmente, não é assim para os átomos, senão a gente teria um problema…

Regularmente, o universo gera um buraco negro para que ele engula tudo o que se espalhou para fazê-lo reaparecer em outro lugar com uma maior densidade. A única coisa que não muda é o movimento de rotação.

Um buraco negro é, portanto, um simples reciclador que permite passar de uma dimensão espaço-temporal para outra. A alma, não sendo constituída de matéria, não tem nada a temer desse tipo de fenômeno.

Esta é a principal razão pela qual, em tempos de transição de um mundo para outro, é melhor colocar sua confiança na sua alma do que no teto da sua casa, no seu salário ou nos estoques da sua adega!

Você provavelmente entendeu que ficar centrado significa manter-se mais perto possível do que você realmente é. De fato, todas as nossas construções mentais, filosóficas, espirituais e materiais são inelutavelmente destinadas a sofrer, mais cedo ou mais tarde, torções espaço-temporais!

Então, concretamente, o que devemos fazer para ficar centrados quando, em geral, é mais fácil para nos ouvir a voz da nossa mente, das nossas entranhas ou dos nossos medos, em vez da voz do nosso coração?

A resposta é deixar ir, e depois amar o que somos de maneira in-con-di-cio-nal. Isto é, sem nenhuma condição e, portanto, nenhum julgamento. É uma tarefa difícil, mas não é impossível.

De fato, à medida que o movimento giratório for aumentando, os elementos mais externos começarão a querer escapar da sua órbita. Seu papel será cortar os laços que os unem a você.

Deixar ir significa “cortar o elo”, “deixar ir embora”, “renunciar” para ficar mais leve. Em suma, é uma cura de emagrecimento, porém em todos os níveis.

Pode ser uma emoção, uma lembrança, uma crença, um medo, mas também um emprego, um salário, uma segurança, seu apartamento, sua casa, seu companheiro, seus filhos, seus amigos, suas honras, seus títulos, seus ideais, etc.

Embora todos sejam únicos, fomos construídos a partir dos mesmos planos e, portanto, mais ou menos com as mesmas fraquezas e desvios (com sempre algumas variações). Isso nos dá algumas “linhas gerais” de onde vai dar errado!

No plano material externo à nossa pessoa, inevitavelmente estamos a caminho de um tipo de escassez. Em suma, nós vamos perder alguns quilos físicos, especialmente onde havia gordura acumulada em nome do “prazer” e não em nome da “sabedoria”.

O remoinho então passará para o plano da matéria mais sutil da alma, com todo o excesso de peso emocional que sabemos que ela carrega. Neste nível, teremos que fazer as pazes aceitando o que é, removendo qualquer tipo de julgamento.

Claramente, você terá que entender que o que você é hoje é apenas o resultado de todas as suas decisões e experiências do passado. Você não será capaz de mudá-las, nem de esquecê-las, portanto, aceite-as plenamente, agradecendo com todo o seu coração.

Depois, o remoinho irá cocegar a energia da sua mente, literalmente distorcida pela ignorância predominante. A força da verdade se aproveitará dos espaços vazios da ignorância.

A partir deste momento, você será rapidamente capaz de fazer a distinção entre o seu ego e o seu espírito. Você verá que o primeiro é feito de papelão e engana todo mundo, enquanto o outro é feito de aço temperado.

O aumento do movimento rotativo fará então com que você descubra de que é feito. Você poderá separar o joio do trigo sendo verdadeiro e sincero sobre si mesmo.

Manter-se centrado significa fazer uma grande limpeza interna graças ao movimento centrífugo e centrípeto. Este suprimento externo de energia revelará sua verdadeira força e constituição.

É óbvio que o “parecer” irá se fazer em pedaços para deixar o ser totalmente nu. É o propósito da manobra, é verdade, mas desta vez isso não acontecerá com o nosso consentimento consciente, caso contrário todos nós já seríamos santos, não é?

Alguns serão brilhantes e bem construídos, enquanto outros se parecerão mais com obras de arte de sucata, como costuma ser visto nas praças públicas.

O século passado viu alguns “artistas” expressarem sua natureza doentia e agora seu trabalho vale milhões de euros! O que me deixa um pouco triste é que muitos veem gênio enquanto é apenas caos, mas tudo bem, não podemos ir contra o efeito de espelho!

Ficar centrado significa ter a capacidade de manter-se no centro do olho do ciclone afim de se sentir em paz, com uma pressão quase nula e uma proteção máxima, porque nada pode entrar, mas tudo pode sair.

A segurança e a paz ficam, portanto, no centro, porém se movem junto com o próprio ciclone. Se você acha que vai poder chegar lá e botar seu pijama para descansar até a tempestade acabar, esquece disso. Não, terá que seguir constantemente o movimento para não ficar aspirado. Portanto, uma vigilância extrema será necessária.

Deixar ir significa desistir do que é inútil, mas não abandonar e ficar coçando o umbigo. Pelo contrário, deixar ir é uma consciência em movimento que se torna consciente de si mesma.

Visto de outra maneira, será necessário demonstrar nossa “verticalidade”, já que é normalmente o que nos diferencia dos animais, que existem na horizontalidade (com diferentes níveis). Eles não têm problemas de peso, exceto os cachorrinhos mimados de madames e outros animais de estimação “poluídos”.

Então, vamos dar uma olhada nisso com alguns desenhos de apoio e, em seguida, cruzar essas informações com outras lições desse blog. Em um outro artigo, eu afirmei que o propósito do homem era fusionar os opostos redescobrindo sua Unidade primordial (a de Deus).

Fisicamente, isso pode ser representado por um capacitor de placas onde a polaridade de cada placa muda em função da corrente aplicada. Se essa última se tornar alternativa e se o objeto (você) não estiver perfeitamente no centro (linha pontilhada verde), a corrente irá de uma placa para outra e gerará um movimento.

O objetivo é permanecer estável apesar das mudanças de polaridade. Então, se você está no julgamento, você necessariamente expressa um ponto de vista polarizado + ou – e, portanto, assim que a tensão aumentar, você se aproximará perigosamente de uma das placas.

Depois, na primeira inversão da corrente, você se encontrará violentamente projetado na placa oposta. Resumindo, se quiser parar o ioiô, você deverá ficar no centro com a polaridade mais neutra possível.

A neutralidade não significa que você não pensa, mas sim que você olha para o que está acontecendo sem se sentir envolvido. Você não será nem o menos, nem o mais, porém você poderá observar a dança sem sair da sua Unidade.

Permanecer centrado significa então estar no centro de tudo e não jogar mais o jogo da polaridade no seu estado de Ser, embora você seja uma partícula material no meio do tabuleiro.

Isso é razoável quando existe apenas uma dimensão (1 plano), mas à medida que evoluímos em um mundo de 3D (3ª dimensão) nos encontramos presos entre 3 capacitores, um em X, o outro em Y e o último em Z.

Essas 3 dimensões espaciais correspondem às 3 forças principais às quais estamos sujeitos, e aos 3 corpos principais que nos compõem. O símbolo positivo (energia feminina) é representado pelo símbolo Yin (- -) enquanto as energias masculinas são representadas pelo símbolo Yang (—).

Uma vez o conjunto espacialmente recomposto, podemos ver que, se decidirmos assumir o ponto de vista de um dos vértices do cubo, podemos construir uma trigrama de acordo com o esquema clássico corpo-alma-espírito.

O conjunto dessas combinações “energéticas” fornece 64 hexagramas, que representam os 64 estados que um indivíduo pode tomar. Mas se o indivíduo ficar centrado no meio dos 3 eixos, então ele não tem nada mais para fazer neste modelo de 3D. Ele pode, portanto, ascensionar para um sistema que chamamos de 5D.

Em suma, a evolução da consciência segue uma matemática relativa ao espaço no qual ela vive. Então, se você está centrado no seu corpo, na sua alma e na sua mente, o cubo pode estar sujeito a todas as tensões e cambalhotas possíveis sem que você não tenha absolutamente nada a temer.

Isso é chamado de centro de gravidade, assim como a Terra tem o seu, assim como o sol e todos os outros planetas. Mesmo em rotação, cada planeta segue sua órbita de acordo com leis muito precisas. É o mesmo para o homem.

Um outro dia, falarei com mais detalhes sobre a relação dos planos de harmonização com os centros energéticos, bem como a relação deles com a MerKaBa e as diferentes religiões do mundo.

É muito instrutivo porque todos dizem a mesma coisa, mas de um ponto de vista diferente. Como tem 8 vértices em um cubo, é fácil entender que cada ponto de vista está certo, mas não completamente quando está sozinho.

Difícil acreditar que brigamos por milenários enquanto todos nós dizíamos a mesma coisa! Tem que ser bastante “humano” e ignorante para ter chegado a este ponto.

Para os puristas que ousam imaginar que existe uma 4ª dimensão, que eles chamariam de “tempo”, eu posso dizer a eles que estão certos, exceto que este último não está de forma alguma ligado ao espaço e à matéria.

No dia em que pararemos de acreditar que o tempo está colado à matéria, poderemos ir a qualquer lugar que desejamos visitar na galáxia, num piscar de olho sem precisar de nada mais que um pensamento.

Quando você medita, é isso mesmo que você está fazendo; porém nossa bunda não levanta nem de um milímetro do chão. Esta é a razão pela qual a 4D (4ª dimensão) permanece apenas uma dimensão transitória, enquanto a 5D é, por sua vez, muito mais palpável e durável.

Em artigos futuros, eu lhe direi mais sobre o assunto e você descobrirá que seu corpo é um veículo multidimensional do qual você nem suspeita as possibilidades.

Mas, para que ele funcione corretamente, uma pequena limpeza de primavera (depois de 26.000 anos de funcionamento e de acumulação de sujeira) irá lhe fazer bem. De qualquer jeito, o fato de concordar ou não não irá mudar o curso das coisas!

Chegou a hora de ir à oficina do mecânico para fazer uma revisão “zodiacal”, já que atravessamos os 12 signos desde a última revisão. Portanto, mantenha-se centrado no seu caminho, caso contrário, o que espera você é a vala do acostamento ou colisões com os carros da outra faixa.

E como as subidas e descidas vão ficar cada vez mais próximas uma da outra e mais íngremes, você terá que se desfazer primeiro do supérfluo que você carrega no trailer, depois do próprio trailer, depois das coisas que você colocou no telhado do carro, no porta-malas, para finalmente chegar ao seu destino com o mínimo necessário.

Então, quanto antes você largar as coisas, menos você irá consumir gasolina e, portanto, mais potência você terá na hora subir os próximos relevos. Oh, último detalhe: como estamos fazendo, não o Tour de France, mas bem o Tour de Consciência, temos que aprender a respirar corretamente e a parar de julgar, para não ficar sem folego na hora da etapa montanhosa dos Alpes!

Laurent DUREAU

PS – Para aqueles que estão curiosos sobre o porquê da nossa subida em direção ao Céu, é porque começamos descendo na matéria, achando que era bem mais legal. No início, todo mundo corria muito rápido porque ainda não tínhamos experimentado o lado muito pesado e evolutivo, a progressão era rápida (apesar de todas as saídas da estrada); porém hoje nós temos que, de lá debaixo, voltar para cima. Depois de todos os esforços que fornecemos, nós vamos ver muito rápido se ainda temos energia e coragem para conseguir voltar…

Em suma, durante o próximo ciclo, talvez optaremos por começar com as etapas em terreno liso, ou talvez com as montanhas desde o início para terminar com um declive um pouco mais tranquilo! Voltaremos a falar desse assunto daqui a alguns milenários…

Artigo originalmente publicado no blog Booster Votre Influence no dia 6 de abril 2009 e atualizado no blog 345D no dia 11 de julho 2012.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*