Os 7 planos de harmonização (5): os diferentes corpos (1)

Você poderia imaginar um bebê de alguns meses capaz de expressar suas emoções e suas opiniões sobre o último programa de TV que assistiu, depois dele ter considerado com muito cuidado a maneira de dizer isso para você? Claro, você vai responder que não (caso contrário, eu quero conhecer esse bebê!).

De fato, é preciso tempo para um ser humano se construir e experimentar, para que um dia, talvez, ele se torne um verdadeiro adulto, e não apenas um maior de idade só porque comemorou 18 anos de idade. Este processo de integração segue um movimento simplesmente dacalcado no relógio cósmico.

No último artigo, nós falamos da noção de um relógio planetário baseado no ano. Ele é o tamanho mínimo dos dentes das rodas dos nossos chakras que, lembre-se, são centros de energia que estabelecem planos de existência.

Se tomássemos o exemplo de um relógio terrestre, poderíamos dizer que o ponteiro dos segundos corresponderia ao dia, o ponteiro dos minutos ao mês e o da hora ao ano. O mostrador dos meses indicaria os septénios e o mostrador dos anos indicaria os períodos de 3 septénios, cada corpo necessitando de 3 fases para se desenvolver completamente, como veremos.

Nesta lógica, eu gostaria de fazer você entender que existem outras rodas, cada vez maiores, mas que dependem essencialmente do progresso dos segundos. De fato, cada segundo que passa nos afasta de um ponto para nos aproximar de um outro.

Como tudo gira no universo, não tem começo nem fim, apenas sequências de vida diferentes, a cada instante e para todos. Assim, do mesmo jeito que cada ano que passa faz mudar a nossa perspectiva, também existem fases de integração dos nossos diferentes corpos.

É compreensível que um recém-nascido não possa estar fisicamente “acabado” na hora do nascimento, porque seu corpo físico ainda está em construção. Este embrião físico de 50 cm e de 3 a 4 kg não pode aguentar a mesma coisa que um corpo de 1,80 m e 75 kg.

Então hoje eu vou falar sobre os 6 outros corpos que vão se integrar no primeiro. De fato, sem o seu corpo físico, o resto é inútil. É como gasolina. Você só pode abastecer se o carro já existir!

Um corpo físico sozinho é o equivalente de um cadáver biológico sem vida, porque o segundo corpo que lhe dá vida é o corpo energético. Então, quando um bebê nasce (e está vivo), isto significa que o corpo energético dele está presente no corpo físico. Se não fosse o caso, ele seria um natimorto.

Olhando o lado oposto da cronologia, alguém deixa de estar vivo quando seu corpo energético se separa do seu corpo físico. Naquele momento, dizemos que a pessoa está morta e temos que fazer algo com a matéria que ficou para trás.

Mas biologicamente, nosso corpo continua a desenrolar o processo de decomposição para voltar à Terra. De outra forma, como os inspetores iriam descobrir a hora do crime?

Eu insisto nesse aspecto porque os outros 6 corpos vêm se integrar neste primeiro. Então nosso corpo físico corresponde ao 1º corpo, já que sem ele nada pode acontecer. Ele é o receptáculo! Em outras palavras, é a carcaça, o chassi e é por isso que corresponde ao esqueleto e aos músculos e tendões. Seu reino de pertença é o reino mineral.

O 2º corpo é o que eu chamo de corpo energético. Ele corresponde ao sistema digestivo e pertence ao reino vegetal. [corpo etérico]

PS: Eu coloco entre parênteses retos os nomes comumente dados por outros ensinamentos bem mais antigos. Infelizmente, esses nomes estão agora sobrecarregados com séculos de crenças, séculos em que a vontade dos religiosos foi promover a confusão para que eles possam exercer seu poder sobre os outros (dividir para conquistar).

O 3º corpo é o corpo emocional [corpo astral]. Ele corresponde aos movimentos das energias emocionais no nosso corpo físico. Seu equivalente físico é o sistema sanguíneo (coração, veias, fígado, rins) e ele pertence ao reino animal.

O 4º corpo é o corpo mental. Ele corresponde ao sistema nervoso e ao cérebro. Ele pertence ao reino humano e, portanto, do ego. É, entre outras coisas, o motivo pelo qual o homem se sente tão superior ao resto da Criação!

O 5º corpo é o corpo espiritual [corpo causal]. Ele corresponde às glândulas distribuídas em cada chacra. É ele quem regula a química do corpo. Ele pertence ao reino do Pequeno Si.

O 6º corpo é o corpo da alma [corpo budista]. Ele anima o movimento cardíaco e pertence ao reino dos anjos. É o centro da alegria e do amor universal.

O 7º corpo é o corpo de luz [corpo átmico]. Ele corresponde ao sistema respiratório e ao Grande SI. Ele pertence ao reino dos Espíritos. É o centro da paz e do respeito pela diferença.

Em vista disso, você pode constatar que a menor parada respiratória pode matar você, e qualquer parada cardíaca vai fazê-lo. Também é possível passar pelo meio da destruição física para alcançar o mesmo resultado, porém fica menos “limpo”!

Bem, agora que você sabe que temos 7 corpos, vamos ver quanto tempo leva para a mecânica ficar configurada e funcional. Por um lado, você tem o aspecto mecânico/material (automático e inconsciente) enquanto, por outro lado, tem o aspecto da experimentação, voluntária ou não, porém consciente.

É um pouco parecido com os tecnicos de informática que, por um lado, têm que adicionar e instalar o hardware enquanto a rede continua crescendendo, e ao mesmo tempo têm que atualizar os programas. Você pode suspeitar que um influenciará o outro, e vice-versa.

Então, haverá para cada corpo 3 fases de implementação. A primeira fase é a da aquisição (eu descubro), a segunda fase é a da ação (eu integro) e a terceira fase é a do controle (eu domino o assunto).

É mais ou menos assim: eu instalo um programa, eu me familirizo com ele, depois eu começo a usá-lo e, finalmente, eu descubro tudo o que está errado com ele, assim como todos os detalhes das suas capacidades. Simples, não é?

Para evitar que algumas pessoas corram rápido demais e que outras fiquem para trás, cada fase tem que ser percorrida de acordo com os pontos de vista de cada chakra. Levará 7 anos para cada fase e como são 3, dá 21 anos. Caramba, ​​é muito tempo!

De fato, diante da nossa expectativa de vida bastante curta, teríamos que viver 6 x 21 anos ou 126 anos para finalmente estarmos prontos para começar a fazer alguma coisa. Ah, sim, você está apontando pelo fato que eu falei 6 corpos, enquanto tem 7!

Eu lhe responderei que, para um corpo estar vivo, é preferível que os dois primeiros tenham chegado juntos e concordando um com o outro. De outra forma, não sobraria muita coisa do corpo físico após 21 anos de decomposição…

Assim, para resolver a equação, os Criadores decidiram que a cada volta completa da roda de um chacra, um novo corpo seria acrescentado. Mais uma vez, você vai dizer que o nosso corpo está completo desde o começo e que não precisamos esperar décadas antes de começar a respirar, a pensar ou a ser feliz!

Claro. Todo o hardware está aqui, pré-instalado e ligado na tomada. A única coisa é que você não tem acesso a ele de forma consciente. Eu vou dar um exemplo da minha vida…

Eu me apaixonei pela vizinha do andar de baixo do meu prédio com 4 anos, porém foi só quando eu comecei a ter espinhas na cara que eu percebi os efeitos conscientes que isso tinha por baixo do meu cinto.

Antes, eu era apenas um inocente (um santo, né!) que beijava-la com muita paixão. A única coisa é que eu não sabia porquê, porém me deixava feliz! Quem sabe por que nessa idade? Agora eu sei, porque minha Pequena Voz me disse…

Enfim, aqui está o pequeno gráfico que resume quando os programas aparecem na nossa tela interna.

A descrição dos septénios (as letras rosas abaixo de cada coluna) é muito longa para este artigo. Então vamos nos encontrar no próximo artigo para as explicações completas.

 

Em resumo, neste artigo, você se tornou consciente dos diferentes corpos do ser humano, assim como das características físicas destes. Esses corpos não são a matéria que nos compõe: é dentro dessa matéria que eles agem.

Laurent DUREAU

Artigo seguinte: Os 7 planos de harmonização (6) os diferentes corpos (2)
Artigo anterior:  Os 7 planos de harmonização (4) a relojoaria cósmica

Artigo originalmente publicado no blog Booster Votre Influence no dia 22 de julho 2008 e atualizado no blog 345D no dia 19 de julho 2012. Traduzido do francês.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*